Comunicado de imprensa, 30 novembro 2019 (click here to read it in English)

OPERAÇÃO ‘AMAZÔNIA LIVRE’

O WILDLEAKS PRECISA DE SUA AJUDA PARA PROTEGER A AMAZÔNIA!

 

A FLORESTA TROPICAL DA AMAZÔNIA ESTÁ SOB A MIRA DO PRESIDENTE DO BRASIL E DOS INTERESSES PRIVADOS

ENVIE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS PARA NÓS DE MODO SEGURO E ANÔNIMO

O desmatamento da floresta tropical da Amazônia no Brasil cresceu mais de 88% em junho de 2019 em comparação com o mesmo mês do ano anterior e isso é apenas o começo.

O novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, está trabalhando arduamente para abrir uma parcela ainda maior da porção brasileira da floresta amazônica para a indústria. Após a sua posse, a administração de Bolsonaro extinguiu a autoridade da agência de proteção ambiental e moveu a comissão florestal para o Ministério da Agricultura, que é controlado pelos apoiadores da indústria agrícola. As iniciativas planejadas por Bolsonaro têm como alvo aliviar as regulamentações e restrições sobre agricultura e mineração em áreas protegidas.

É por essa razão que o WildLeaks convida qualquer um que saiba sobre esforços industriais privados e/ou governamentais crescentes para explorar os recursos da Amazônia que compartilhe anonimamente tais informações anonimamente.

O WildLeaks, um projeto da Earth League International (ELI), é a primeira iniciativa global de denúncias dedicada a crimes ambientais. O WildLeaks permite que as fontes e os denunciantes enviem informações, ou “vazamentos”, de modo anônimo através de tecnologia de ponta.

Os vazamentos recebidos são avaliados e utilizados para interromper atividades criminosas e facilitar a identificação, prisão, perseguição de redes criminosas, traficantes, empresários, oficiais corruptos do governo ou qualquer um por detrás de crimes ambientais. Por fim, o WildLeaks funciona como um repositório entre os denunciantes em potencial e os elementos criminosos que, do contrário, os impediriam de compartilhar as informações privilegiadas.

Após o recebimento de uma denúncia através do WildLeaks, uma equipe de investigadores infiltrados da ELI embarcou em uma investigação de 10 meses na China e Hong Kong em 2015 para descobrir como negócios legais estão envolvidos na lavagem de marfim e outros produtos selvagens. São gravações dessa investigação secreta em conjunto com entrevistas com a equipe de investigação que são destacadas no documentário The Ivory Game (Netflix).

Além disso, o WildLeaks recebeu múltiplos vídeos exibindo a caça ilegal de troféus na Tanzânia em maio de 2016 por parte da companhia de safári Green Mile, controlada pela família no poder em Abu Dhabi.  O WildLeaks publicou o retorno da Green Mile para Tanzânia e lançou uma campanha global para informar o público e forçar a Green Mile a cancelar suas operações para sempre. Como resultado, em agosto de 2019 a Tanzânia revogou permanentemente a licença de caça dos Safáris da Green Mile.

A rede de especialistas da ELI, incluindo cientistas, advogados ambientais, especialistas juristas criminais e legais e ex-oficiais de inteligência avaliarão e validarão qualquer denúncia em resposta a esse chamado por fontes e denunciantes. Eles determinam possíveis ações que podem incluir:

  • Investigação por parte das equipes ELI e/ou em colaboração com parceiros confiáveis
  • Compartilhamento de informações com contatos confiáveis dentro de leis selecionadas
  • Compartilhamento de informações com parceiros de mídia para ampla divulgação

A ELI pede que todos que tenham conhecimento de atividades criminais relacionadas ao desmatamento ou outro tipo de exploração da Amazônia Brasileira e populações indígenas, incluindo especulação por parte de empresas multinacionais e fundos de investimentos, enviem uma denúncia através do WildLeaks.

 

COMO ENVIAR INFORMAÇÕES: 3 OPÇÕES.

Existem várias maneiras para enviar informações para o WildLeaks.

Uma das maneiras é visitar www.wildleaks.org diretamente para enviar informações de modo anônimo através da plataforma do WildLeaks utilizando o Navegador Tor.

Para os denunciantes que não conseguem utilizar a plataforma WildLeaks, o WildLeaks oferece meios alternativos para enviar denúncias da maneira mais confidencial possível. Tais métodos incluem:

  1. Através de e-mail seguro: Crie um serviço de e-mail codificado anônimo utilizando www.ProtonMail.ch e então envie um e-mail para: wildleaks@protonmail.ch
  2. Através do app: utilize o Threema, um versátil aplicativo para seu smartphone que codifica todas as suas comunicações de ponta a ponta, incluindo mensagens, bate-papos, arquivos e mensagens de status. https://threema.ch/en. Um número de telefone ou endereço de e-mail NÃO é obrigatório para utilização do Threema, um recurso exclusivo que permite que o usuário do Threema seja completamente anônimo. Após instalar o aplicativo, basta enviar sua  Threema ID  para wildleaks@protonmail.ch para se conectar com o WildLeaks anonimamente e um representante do WildLeaks responderá a partir da conta Threema da organização.